Sul-africanos participam numa manifestação pacífica na Madeira e no Continente

Sul-africanos em quatro cidades de Portugal continental e na Ilha da Madeira, participaram de uma manifestação Global no último sábado, dia 5 de setembro de 2020. As cidades de Lisboa, Porto, Algarve e Funchal juntaram mais de 250 pessoas que...

Sul-africanos participam numa manifestação pacífica na Madeira e no Continente
Sul-africanos em quatro cidades de Portugal continental e na Ilha da Madeira, participaram de uma manifestação Global no último sábado, dia 5 de setembro de 2020. As cidades de Lisboa, Porto, Algarve e Funchal juntaram mais de 250 pessoas que se manifestaram com orgulho e em solidariedade com o povo da África do Sul. Portugal faz parte de lista de 16 países que apoiaram o movimento no sábado dia 5 setembro, mostraram ao mundo que os Sul-africanos uniram-se de forma respeitosa e pacífica transmitindo as mensagens do movimento. Com os apoiantes, vestidos principalmente de preto com o logotipo do Move ONE Million, Tshirts dos Springbok, bandeiras da África do Sul e vários cartazes com mensagem que o movimento deseja transmitir, o dia começou com um minuto universal de silêncio para aqueles que se veem perdidos na luta pela sobrevivência sob o governo atual. O hino nacional da África do Sul foi tocado e discursos proferidos, levantando várias adversidades que a África do Sul está a tentar combater para avançar como uma nação. Em Cada cidade apelou-se ao espírito de confiança, para uma mudança positiva e dançou em união e como orgulho à Jeruselama de Master KG. O movimento apelou das diversas origens do seu povo e do medo e tristeza que enfrentam diariamente. Os discursos destacaram-se em torno das Eleições Diretas sendo o principal objetivo para a mobilização do movimento. Garantir que os cidadãos da República da África do Sul tenham voz e possam responsabilizar os indivíduos do governo pela série de atrocidades que a nação enfrenta diariamente, sendo a fonte direta do problema a má gestão dos fundos governamentais. As pessoas procuram penalidades por abuso de confiança e obrigações violadas por funcionários do governo. O movimento, fundado por Jarette Petzer e Joanita Van Wyk, está a trabalhar em campanhas de massa para eleições diretas. Em junho de 2020, o Supremo Tribunal Constitucional da África do Sul decidiu que a atual Lei Eleitoral é inconstitucional, uma vez que não permite que indivíduos se apresentem como candidatos independentes nas eleições locais e nacionais. Esta campanha visa capacitar os cidadãos da África do Sul a permanecer unidos para garantir que todas as mudanças relevantes sejam feitas na Lei Eleitoral dentro do prazo de 24 meses emitido pelo tribunal. Após as manifestações de sábado, Petzer afirmou, “os sul-africanos manifestaram-se com respeito, amor, integridade e união. Foi muito encorajador, e vamos continuar a fazer isso. A energia era elétrica, e a vibração e a atmosfera eram ótimas. O apoio internacional foi maciço. Obrigado a cada pessoa que esteve connosco em todo o mundo, foi incrível ter pessoas tão incríveis ao nosso lado a representar-nos, e isso é muito encorajador para o próximo. Precisamos crescer, aproveitar e fortalecer à medida que avançamos e só podemos fazer isso com nossos membros. “Os sul-africanos que vivem no estrangeiro, organizaram vários protestos e reuniões para solidarizar-se com o movimento em mais de 16 países, incluindo Portugal, México, Chipre, Grécia, Alemanha, Itália, Bélgica, Holanda, Noruega, Suíça, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, Canadá, Nova Zelândia, Austrália, Uganda, Madagáscar e Reino Unido Uma mensagem de agradecimento sincero de gratidão as autoridades nacionais, e aos municípios pela sua presença e profissionalismo, no passado sábado. O Move ONE Million Internacional está em discussões sobre a próxima manifestação a ser delineada em conjunto com a África do Sul no próximo dia 24 de outubro de 2020. Os detalhes para Portugal Continental e Madeira serão divulgados o mais rápido possível.