PCP denuncia vaga de despedimentos na Madeira

O PCP denunciou, em comunicado, a existência de uma grave vaga de processos de despedimentos de trabalhadores na Região Autónoma da Madeira. De acordo com o PCP, em diversos grupos hoteleiros, a começar pelo maior grupo hoteleiro de Portugal...

PCP denuncia vaga de despedimentos na Madeira
O PCP denunciou, em comunicado, a existência de uma grave vaga de processos de despedimentos de trabalhadores na Região Autónoma da Madeira. De acordo com o PCP, em diversos grupos hoteleiros, a começar pelo maior grupo hoteleiro de Portugal como está já acontecer no Grupo Pestana, existem trabalhadores efetivos que estão a ser confrontados com documentos para o rescindir dos seus contratos de trabalho. Como se já não fossem suficientemente graves os casos de não renovação de contratos, como se já não bastassem os processos tendentes a impor férias forçadas, iniciou-se uma outra etapa na escalada contra os direitos dos trabalhadores que está a passar pelo desencadear de processos de despedimento em massa. Como disse Edgar Silva, coordenador regional do PCP, esta manhã numa declaração política junto a uma dessas unidades hoteleiras onde alegadamente este problema está confirmado, "estamos perante um patamar gravíssimo no atentar contra direitos fundamentais dos trabalhadores, estamos perante uma vaga de despedimentos que nos obriga a uma intervenção urgente". "Esta é uma situação que não pode ser tolerada! Nem em nome da pandemia, nem em nome do recurso ao Lay-Off, se pode permitir que uma injustiça como esta vá por diante! Não se pode condescender perante este brutal ataque aos direitos ao trabalho neste País." O PCP quis também alertar os trabalhadores da Região para que não assinem qualquer documento sem que primeiro seja visto pelo sindicato ou por um seu advogado. "É preciso muito cuidado porque existem muitas armadilhas e muitos trabalhadores estão a ser convocados para a assinatura de documentos que, uma vez assinados, são uma autêntica declaração de morte para o trabalhador menos prevenido."