Jornadas Madeira: Parlamento desenvolve a cultura com a criação de mecanismos de apoio às entidades

No primeiro momento de debate após as intervenções iniciais, o diretor do JM Agostinho Silva questionou Rubina Leal acerca da inexistência da cultura sem educação, perguntando ainda que papel podem ter as iniciativas parlamentares na descentralização...

Jornadas Madeira: Parlamento desenvolve a cultura com a criação de mecanismos de apoio às entidades
No primeiro momento de debate após as intervenções iniciais, o diretor do JM Agostinho Silva questionou Rubina Leal acerca da inexistência da cultura sem educação, perguntando ainda que papel podem ter as iniciativas parlamentares na descentralização da cultura. Na resposta, a vice-presidente da Assembleia afirmou que a sensibilidade, o conhecimento, a formação pessoal para a cultura passa muito pela escola. “Quanto mais as pessoas têm formação mais vão consumindo bens culturais, mais sentido critico têm, mais sensibilidade têm”, afirmou Rubina Leal, salientando que quanto mais escolarizadas as pessoas estiverem, outra sensibilidade terão para consumir cultura. Quanto ao papel do Parlamento nesta questão, lembra o papel essencial deste organismo com a criação de mecanismos de apoios à cultura, a entidades como bandas filarmónicas na aquisição de equipamentos, e exemplifica ainda com a criação da Rota do Açúcar, um percurso novo que inclui vários concelhos que têm uma dedicação direta na produção do açúcar, e que pode ser uma nova resposta a locais e a todos os que nos visitam.