Jornadas Madeira: “Aqui não há “bons e maus”, diz Rocha da Silva, defendendo referendo às ‘Ginjas’

Rocha da Silva, o antigo diretor regional das Florestas, reconhece também que a Laurissilva não é exclusiva da Madeira, partilhando a ideia de que nesta disussão não há “bons e maus”.  Sobre a estrada das Ginjas lembrou que esta começou a ser...

Jornadas Madeira: “Aqui não há “bons e maus”, diz Rocha da Silva, defendendo referendo às ‘Ginjas’
Rocha da Silva, o antigo diretor regional das Florestas, reconhece também que a Laurissilva não é exclusiva da Madeira, partilhando a ideia de que nesta disussão não há “bons e maus”.  Sobre a estrada das Ginjas lembrou que esta começou a ser aberta nos anos 70 e resulta de um trabalho que foi feito à volta dos aproveitamentos hidráulicos, em 1939. “A estrada das Ginjas teve, em 1971, um orçamento mil e sessenta e oito contos”, recorda, clarificando que, na questão desta estrada (Ginjas) é uma “questão de segurança”, ressalvando que, no que concerne aos incêndios, São Vicente já foi assolada por este flagelo e que a estrada das Ginjas ajudou ao combate aos mesmos. Por isso, defende que seja feito um referendo à asfaltagem da mesma. Raimundo Quintal disse que "nunca ninguém mostrou o parecer favorável da UNESCO", referindo-se à Estrada das Ginjas.