Já estão definidos os primeiros grupos de portugueses com direito a vacina

Cidadãos com 50 a 75 anos com doença muito grave, profissionais de saúde, utentes e funcionários dos lares estão na linha da frente. A informação acaba de ser avançada pela SIC Notícias. De acordo com o canal, os critérios da vacinação contra...

Já estão definidos os primeiros grupos de portugueses com direito a vacina
Cidadãos com 50 a 75 anos com doença muito grave, profissionais de saúde, utentes e funcionários dos lares estão na linha da frente. A informação acaba de ser avançada pela SIC Notícias. De acordo com o canal, os critérios da vacinação contra o novo coronavírus definiram a faixa etária entre os 50 e os 75 anos, com doença muito grave, como prioritárias para o primeiro lote de vacinas a ser aplicado em Portugal. O documento elaborado pela comissão técnica da vacina e entregue ao Ministério da Saúde e ao grupo de trabalho que vai coordenar todo o processo, prevê que entre os prioritários estejam também os profissionais de saúde que estão na primeira linha do combate à pandemia, assim como os utentes e funcionários dos lares de terceira idade. Os cidadãos mais idosos, com mais de 75 anos, ficam fora dos prioritários, nesta fase, o que é explicado com a falta de comprovação de eficácia da vacina neste grupo de risco. O segundo grupo a ser vacinado também está na faixa dos 50-75 anos, mas com doenças de menor gravidade. Nessa altura serão vacinados também os restantes profissionais de saúde e outras pessoas que estão institucionalizadas. O grupo criado para coordenar todo o processo tem cerca de um mês para definir os procedimentos e opções a seguir. De acordo com o despacho publicado hoje em Diário da República, o mesmo grupo criado em Lisboa tem de articular com a Madeira e os Açores a forma como operacionalizar o processo. No caso da Madeira, foi hoje mesmo constituído um organismo idêntico, com funções muito semelhantes. Ainda ontem, na conferência de imprensa para anunciar novas medidas para enfrentar a pandemia, o presidente do Governo Regional anunciou que a Madeira vai contar com 200 mil vacinas do total a que Portugal terá direito.