EUA: Violou filha de 10 meses e fez pesquisa no Google para saber se a criança estava morta

Um treinador de futebol americano de 29 anos violou a própria filha, uma criança de 10 meses, nos Estados Unidos.  O agressor, Austin Stevens, da Pensilvânia, foi esta terça-feira acusado de abuso sexual agravado, violação de menor, e de outros...

EUA: Violou filha de 10 meses e fez pesquisa no Google para saber se a criança estava morta
Um treinador de futebol americano de 29 anos violou a própria filha, uma criança de 10 meses, nos Estados Unidos.  O agressor, Austin Stevens, da Pensilvânia, foi esta terça-feira acusado de abuso sexual agravado, violação de menor, e de outros crimes por colocar em perigo o bem-estar de uma criança, refere o Notícias ao Minuto. Considerando o caso "profundamente perturbador", o advogado do Condado de Montgomery, Kevin Steele, afirmou que "é difícil imaginar que a morte desta criança fosse ainda mais traumática". "A agressão sexual a uma criança é uma coisa hedionda e depois a inação do seu pai para lhe salvar a vida levou à morte desta criança", acrescentou, citado pela mesma fonte. De acordo com a Fox News, a criança perdeu a consciência após ter sido violada pelo pai. O progenitor recorreu então à pesquisa no Google para determinar se a menina estaria morta e só contactou os serviços de emergência médica decorrida uma hora. À chegada ao local, os socorristas viram que a menina tinha sangue na fralda, sendo que esta morreu pouco tempo depois de chegar ao hospital.  Agora, Austin Stevens encontra-se detido no Estabelecimento Prisional do Condado de Montgomery e terá de desembolsar um milhão de dólares a título de fiança se quiser ser libertado. O homem arrisca a condenação a uma pena de prisão perpétua.