Conservatório assinala 75 anos com olhos postos no futuro

O Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira (CEPAM) assinalou hoje, com uma cerimónia realizada no seu jardim, o seu 75º aniversário.  À margem do evento, o secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia, falou nos projetos...

Conservatório assinala 75 anos com olhos postos no futuro
O Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira (CEPAM) assinalou hoje, com uma cerimónia realizada no seu jardim, o seu 75º aniversário.  À margem do evento, o secretário regional de Educação, Ciência e Tecnologia, falou nos projetos futuros, mas também dos desafios que aquela escola enfrenta. “Uma mensagem de esperança de que o futuro pode ser olhado de outra forma”, começou por dizer o governante, lembrando que, ao longo dos últimos anos a tutela esteve a proceder a um conjunto de reorganizações, nomeadamente com a incorporação da Direção de Serviços de Educação Artística (DSEAM) no Conservatório e a agregação de todos os professores que estavam em diferentes regimes contratuais para a integração na carreira docente pública. “Estabilizado o corpo docente, criadas as condições do ponto de vista orgânico para a integração da formação, este é o momento de começarmos a planear novas alternativas para o Conservatório”, afirmou o secretário na ocasião, referindo “não fazer sentido termos cursos que não respondam àquilo que são os objetivos e as motivações dos nossos alunos”. Em relação ao edifício propriamente dito, Jorge Carvalho anunciou que a sua reabilitação será enquadrada no próximo quadro comunitário.   Aposta no audiovisual e cinema A par dos vários cursos já administrados, a próxima aposta no Conservatório será no audiovisual e cinema. De acordo com o presidente da direção do CEPAM, Carlos Gonçalves, esta área será explorada porque, em Portugal só existe numa escola privada, em Lisboa. Aqui na madeira há escolas com cursos profissionais em audiovisuais, mas numa vertente diferente. “Nós queremos na vertente do cinema”, revelou o responsável, sublinhando que está agora a procurar financiamento para conseguir abrir esse curso já para o ano letivo 21/22.  Além disso, salientou, “estamos a fazer uma pesquisa de mercado para ver se, realmente, temos alunos interessados nesse curso”.