CDS-PP com dívidas de dois milhões despede funcionários e encerra sedes

O CDS-PP tem rescindido contrato com vários funcionários e está a ponderar encerrar sedes arrendadas pelo país, avança o Jornal Económico esta sexta-feira, que informa que cortes na subvenção estatal e comparticipações financeiras podem levar...

CDS-PP com dívidas de dois milhões despede funcionários e encerra sedes
O CDS-PP tem rescindido contrato com vários funcionários e está a ponderar encerrar sedes arrendadas pelo país, avança o Jornal Económico esta sexta-feira, que informa que cortes na subvenção estatal e comparticipações financeiras podem levar dívida dos centristas a aproximar-se dos dois milhões de euros. O Jornal Económico, na sua edição desta sexta-feira noticia que o partido CDS-PP está a alertar as distritais e concelhias para a necessidade de reduzir a despesa corrente e controlar as contas do partido. Isto, segundo a mesma publicação, deve-se à subvenção estatal e das comparticipações financeiras, a que se junta o saldo negativo nas contas do ano passado. Fonte do partido afirmou ao mesmo jornal que as dívidas podem chegar “perto dos dois milhões de euros” este ano, sendo que a direção está a ponderar avançar com o encerramento de sedes alugadas e o despedimento de funcionários. A mesma fonte diz saber que nos últimos dias houve rescisões de trabalhadores na sede nacional do CDS-PP – onde também funcionam as estruturas distrital e concelhia de Lisboa – e também no gabinete de apoio ao grupo parlamentar na Assembleia da República, onde os centristas desceram de 18 para apenas cinco deputados. De saída, escreve o JE, estão assessores, secretárias do partido e um motorista com dezenas de anos de trabalho estão de saída. Funcionários que se mantiverem em funções, tanto no grupo parlamentar como na sede do partido no Largo do Rato, deverão sofrer cortes salariais.